Minha conta
O quão humano é o RH? Além da contratação e demissão

O quão humano é o RH? Além da contratação e demissão

Todo mundo odeia o RH. Mas, será que odeiam mesmo? Nós descobrimos o que os trabalhadores pensam do RH e descobrimos algumas verdades reveladoras.

o_rh_humano

 

Recursos humanos. Um exército de burocratas sem rosto, cegamente adotando políticas ridículas sem um pingo de bom senso.

 

Mas, esse estereótipo sombrio é verdade? Buscamos responder a pergunta “O RH é humano?” E encontramos alguns resultados preocupantes.

.

Nós entrevistamos 926 pessoas e perguntamos:

  • A opinião deles sobre o quão bem os profissionais de RH trabalham;
  • Se ele buscam a opinião do RH sobre problemas no trabalho;
  • As situações mais peculiares que eles tiveram que relatar ao RH.

 

Vamos começar.

 

RH, temos um problema

 

Assédio sexual, discriminação, uso de drogas e roubo. Tem até pornografia e odor corporal. Não, não é a última série da moda da HBO. São coisas que acontecem no ambiente de trabalho. Mas, elas são denunciadas para ao RH?

 

Nós criamos uma lista de situações e perguntamos para os nossos entrevistados se eles as denunciariam.

 

o_rh_humano

o_rh_humano

alt_image

 

Primeiramente, vamos dar uma olhada nas principais respostas. O mais importante aqui não é a quantidade de pessoas que disseram SIM, mas aqueles que disseram NÃO. 

 

Apenas 63% das pessoas denunciariam serem sexualmente assediadas no trabalho e apenas 57% denunciaria discriminação.

 

Isso é revoltante. É para isso que existe o RH!

 

A pergunta que temos que fazer é: porque trabalhadores não denunciariam tais situações para o RH? A pesquisa 2019 Employee Experience Survey da HR Acuity dá alguns insights sobre essa situação.

  • 46% dos entrevistados disseram que tinham medo de retaliação.
  • 39% temiam que a denúncia não seria tratada de forma justa.
  • Gênero é um problema. Situações denunciadas por homens são 26% mais propensas a serem investigadas. Mulheres são frequentemente ignoradas, como o comentário abaixo ilustra:
Um colega de trabalho tinha se tornado “amigo” de alunos de Ensino Médio que trabalhavam na empresa e ele constantemente compartilhava mensagens pornográficas que era desrespeitosas com as mulheres. Eu denunciei, mas nada foi feito.

Considerando estes motivos, é compreensível que muitos problemas não são denunciados. Mas, independente da eficiência da sua equipe de RH, denunciar discriminação deveria ser algo obrigatório. Por que?

 

A empresa não é legalmente responsável se você não denunciar primeiro.

 

Eis o que você deve fazer:

 

  • Registrar uma reclamação. Verifique as normas da empresa e siga o procedimento estabelecido. Se não há um, ou se a pessoa para quem você deveria denunciar o abuso é o abusador, entre em contato com o RH e reporte o problema.
  • Denunciar abuso protege os seus direitos. Depois que uma empresa recebe uma denúncia de assédio, ela é obrigada a agir e ela passa a ser legalmente responsável por qualquer outro assédio que ocorra depois.
  • Se proteja das consequência. Depois que uma reclamação é feita, você não pode ser demitido ou rebaixado somente por relatar o problema. Sim, pode acontecer, mesmo que seja ilegal, mas denunciar o problema dá mais força para um caso no tribunal.
  • Busque aconselhamento legal. Essas situações podem acabar no tribunal. Um advogado trabalhista pode te assessorar sobre o que fazer.

 

Agora, vamos dar uma olhada nas situações menos reportadas. Luto ficou com uma percentagem chocantemente baixa, com meros 14%. Na realidade, mais pessoas falariam com o RH sobre um boné com mensagem política. 

 

Novamente, isso é compreensível. A pesquisa da HR Acuity que mencionei mostra que as pessoas sabem como reportar esses problemas, mas não se sentem confortáveis e confiantes no processo. Outro fator que contribui são as regras draconianas do RH.

 

Por exemplo, não é raro que empresas tenham regras que exigem “provas” da morte em casos de luto. É uma abordagem brutal que apenas agrava o luto. Tais regras diminuem a probabilidade de alguém reportar isso.

 

E é razoável assumir que os mesmo fatores impedem as pessoas de denunciarem assédio e discriminação também se aplicam aos problemas pessoais também

 

Mas, não apenas assuma que o seu empregador será tão depravado. Eis o que você pode fazer em caso de luto ou problemas pessoais que podem afetar o seu trabalho.

 

  • Pergunte sobre as diretrizes da empresa. Infelizmente, não há uma dispensa do trabalho obrigatória prevista pela lei.
  • Mas, muitas empresas têm uma abordagem mais amistosa. Se você sabe que um ente querido tem uma doença terminal, verifique isso com a empresa.

 

E isso não é só uma questão do RH ser mais humano. Problemas pessoais podem ter um grande impacto na saúde mental, aumentando ansiedade e depressão. Se eles não forem geridos bem, podem acarretar em uma grande perda de produtividade.

 

Na verdade, a OMS estima que depressão e ansiedade custam mais de $ 1 trilhão à economia global, em virtude da produtividade perdida anualmente. Imagine o quanto isso pode ser reduzido com melhor apoio ao trabalhador. 

RH, você precisa melhorar. Compaixão e competência não são importante apenas para o bem-estar do funcionário, mas também aumentam a performance da empresa.

 

E falando em performance, agora vamos dar uma olhada nas situações em que os trabalhadores buscaram ajuda do RH. Há um problema que chama atenção.

 

O dinheiro fala

 

A maioria das pessoas só vai ao RH quando se trata de dinheiro.

 

alt_image

 

Infelizmente, nem mesmo problemas com pagamentos recebem a atenção que eles merecem, como este entrevistado explicou:

Em alguns casos, eu simplesmente não fui pago. O RH reconheceu o erro, mas não me pagou. Me fizeram esperar duas semanas até o próximo ciclo de pagamentos.

Mas, por que problemas com pagamentos e benefícios recebem tanto destaque? 82% dos entrevistados entrariam em contato com o RH sobre isso, comparado com os outros casos, que foram apenas 30%.

 

Parece bem simples. As pessoas se preocupam mais com o pagamento, pois eles simplesmente precisam. Mas, a nossa pesquisa mostrou que as pessoas têm pouca confiança de que o RH vai resolver outros problemas importantes.

 

Um amigo pouco confiável

 

 

Concordam

O RH é confiável

50%

O RH está tecnologicamente atualizado

57%

O RH se envolve demais em política no escritório

56%

O RH é consistente em suas decisões

50%

O RH tem a informação que você precisa

58%

O RH tem pouca experiência com humanos

45%

O RH foca mais em procedimentos do que em humanos

48%

O RH dá aconselhamento de carreira

56%

É difícil conseguir uma resposta precisa do RH

40%

O RH coloca o próprio departamento acima do resto

36%

O RH fica do lado do empregado

31%

O RH não tem experiência com o lado financeiro das coisas

34%

Se os dados anteriores não te convenceram de que o RH está longe de ser humanos, então isso deveria. Trabalhadores não têm confiança no RH. O motivo é…

 

Apenas 31% dos entrevistados acham que o RH está do lado do trabalhador.

 

Dê uma olhada em uma resposta de um entrevistado:

Eu nunca relatei nada ao RH por que eu não confio neles. A moça encarregada do setor era uma fofoqueira e eu não queria que os meus problemas pessoais se espalhassem pela empresa.

Pense que este tipo de pensamento é replicado por milhares de trabalhadores em várias empresas e fica claro que há muito trabalho a ser feito para virar o jogo.

 

O RH precisa honrar o seu nome, se ele quiser mudar a sua reputação. Eles precisam tratar os seus recursos como humanos. 

 

Além disso, parece que os profissionais de RH estão cientes da situação. Manter o engajamento dos profissionais foi citado como o maior desafio do capital humano em uma pesquisa da SHRM.

 

Ok, o RH sabe que algo precisa ser feito, mas o que exatamente?

 

Para começar, o Dr. John Sullivan escreveu um ótimo artigo para o TLNT, sugerindo que algumas medidas fossem tomadas. Aqui está o resumo:

 

  • Pense no negócio. Quantifique em reais as consequências negativas que resultam da falta de confiança dos trabalhadores. use estes número para mudar comportamentos.
  • Foque nos dados. Use os dados para identificar as melhores maneiras de medir a confiança dos empregados e identificar os fatores que contribuíram para isso.
  • Monitore a imprensa. Problemas no ambiente de trabalho são discutido na mídia. Por exemplo, com a ameaça do Coronavírus, faz sentido focar em preocupações dos trabalhadores sobre home office e demissões.
  • Seja mais responsivo. Trabalhadores estão quase que universalmente frustrados com o que eles veem como uma falta de responsividade do RH. É fundamental medir e continuamente melhorar o tempo que leva para que o RH responde aos funcionários. 
  • Desenvolva mecanismos de escuta: quase toda a definição de confiança inclui a boa vontade do RH para escutar. Use os dados para determinar quais formas de comunicação são vistas pelos seus empregados como as melhores.
  • Seja proativo na comunicação. Não esconda os problemas dos empregados ou espere que eles explodam. Comunique prontamente com os seus empregados usando várias abordagens para resolver as preocupações deles.
  • Seja transparente. Assuma que os empregados, principalmente os mais jovens, esperam transparência. Isso significa que o RH deve dar informações detalhadas sobre os seus objetivos, o motivo para a necessidade das regras e como os processos do RH operam.
  • Explique o objetivo do RH. Explique isso nos primeiros dias do funcionário. Além disso, deixe claro quando o RH tende a focar mais no lado do negócio, assim como as áreas nas quais o RH age como uma entidade neutra.
  • Ajude a aumentar a produtividade. Para finalizar, transforme o RH em um centro de melhoria da produtividade. Ao invés de focar apenas em regras e leis, os profissionais de RH deve dedicar mais tempo ajudando os empregados e gestores a serem mais eficientes e produtivos.

 

Fica claro que melhorar a reputação manchada do RH exige muito trabalho e um engajamento real de todos os envolvidos. Mas, a recompensa vale o esforço. 

 

Para finalizar, vamos falar de algo um pouco diferente.

 

Os problemas mais peculiares que são reportados ao RH

 

Para encerrar a pesquisa, criamos uma pergunta de resposta aberta. Só para ter a certeza de que não deixamos passar nada. Então, nós perguntamos os problemas mais peculiares que os nossos entrevistados já tiveram que denunciar ao RH. As respostas falam por si só.

 

O melhor do pior

 

Estes foram os 5 problemas mais denunciados

 

 

  • Trabalhar embriagado ou sob a influência de drogas;
  • Racismo/discriminação;
  • Colegas fedendo;
  • Vendo pornografia no trabalho;
  • Roubo;

Curiosidade: Colegas fedendo foi o nosso principal pequenos grandes aborrecimentos no escritório. 50% dos entrevistados classificaram isso como “irritante.”

Cirurgia de rato, vídeos de gatos e rebolando no lixo

 

E essas foram as respostas mais estranhas. Quem disse que trabalhar era chato?

 

  • Trocando de roupa no cubículo de outra pessoa;
  • Precisar de uma folga por que o rato da minha namorada teria uma cirurgia no dia dos namorados.
  • O cachorro do chefe urinando na sala de repouso.
  • Ver vídeos de gatos;
  • Ser perseguida por um colega que tentou me matar;
  • Mau hálito.

 

Conclusão

 

Infelizmente, as críticas que o RH sofre são bem fundadas. Estas são as principais conclusões do nosso estudo.

  • As pessoas não têm confiança para denunciar até as situações mais sérias;
  • Poucas pessoas falam com o RH e só o fazem quando há dinheiro envolvido;
  • Há uma falta de fé na objetividade e na confiança do RH.

 

Mas, felizmente, há uma maneira de melhorar. Ela requer trabalho duro e comprometimento de ambos os lados, mas resolver estes problemas ajudará trabalhadores e empregadores.

 

Fontes

 

 

Metodologia e limitações 

 

Para esta pesquisa, entrevistados 949 trabalhadores com o Amazon Mechanical Turk. Os entrevistados foram 57% mulheres e 43% homens. 12% tinha 24 anos ou menos. 46% tinham a idade entre 25-38 anos, 29% de 40-50 e 13% tinham 56 ou mais.

 

Esta pesquisa investigou as opiniões de trabalhadores sobre o RH e se eles denunciaram certas situações. Perguntamos para os entrevistados 14 perguntas sobre qualidades específicas atribuídas aos departamentos de RH.

 

Eles também receberam 26 situações hipotéticas do trabalho e foram perguntados se eles denunciaram. Os entrevistados também receberam uma pergunta de resposta aberta sobre as situações mais peculiares que eles já relataram ao RH.

 

They were also provided with 26 workplace scenarios and asked to check any that they would report to HR. Respondents were also asked one open-ended question about the most unusual situation they’ve had to report to HR.

 

Como experiências são subjetivas, nós entendemos que as respostas de alguns participantes podem ser afetadas por diversos fatores, incluindo o quão recente a experiência foi, exagero, auto-seleção ou viés de resposta voluntária.

 

Fair Use Statement:

 

Sinta-se livre para compartilhar o nosso estudo. O conteúdo deste artigo está disponível para o reuso não comercial. Apenas, por favor, coloque um link para esta página, para dar o devido crédito aos autores originais.

Avalie meu artigo: o rh humano
Média: 5 (1 votos)
Obrigado por votar
Caio Sampaio
Caio é um especialista em carreira e construção de currículos. Ele escreve sobre vários assuntos no mundo do recrutamento. No tempo livre, ele lê livros, assiste filmes, joga vídeo game e mantem-se atualizado sobre o universo laboral. Tendo experiência com teatro, cinema e vídeo games, ele busca usar técnicas dessas indústrias criativas para criar currículos mais interessantes e atraentes.

Artigos Similares